Tesouro Direto: entenda tudo sobre o investimento

Por:
Nomad
14/5/2024
|
Atualizado em
29/2/2024
15 min de leitura

Se você busca um investimento conservador para alocar o seu dinheiro e começar a formar um patrimônio, a plataforma do Tesouro Direto é uma alternativa a considerar. Ela apresenta risco baixíssimo e pode oferecer uma boa rentabilidade — mas isso depende da conjuntura econômica.

De toda forma, é importante considerar essa possibilidade como uma alternativa e até um complemento à renda variável. Afinal, a diversificação de investimentos é a regra de ouro do mercado financeiro. Então, que tal saber mais? Entenda tudo sobre o Tesouro Direto.

O que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um programa do governo federal de emissão de títulos públicos. O foco é financiar atividades de infraestrutura, educação, saúde etc. Assim, é como se o investidor emprestasse dinheiro à União e, em contrapartida, recebe uma remuneração, que varia de acordo com o tipo de papel escolhido.

Esse produto financeiro faz parte da renda fixa. Por isso, é bastante seguro e ideal para quem está começando a investir. Além disso, é indicado para o perfil de investidor conservador.

Por sua vez, quem é arrojado também pode alocar seu dinheiro nesse investimento. Isso porque ele serve como opção para a diversificação da carteira.

Mais do que isso, para saber o que é Tesouro Direto, é preciso saber que esse programa foi criado em 2002 e administrado pelo Tesouro Nacional. Ele pode ser usado por pessoas físicas, mas exige conta em uma corretora de valores.

Mesmo assim, a negociação é feita por uma plataforma própria. Ela é operacionalizada pela B3, a bolsa de valores brasileira.

Quais são os tipos de Tesouro Direto?

Os tipos de títulos públicos podem ser divididos de acordo com a sua rentabilidade: prefixados, pós-fixados e híbridos. Os primeiros permitem saber quanto exatamente se vai ganhar na data de vencimento. Os segundos têm uma remuneração vinculada a um indexador. E os últimos variam de acordo com uma taxa fixa mais um índice de mercado.

Para entender melhor todas as opções, apresentamos os tipos de Tesouro Direto hoje, com suas respectivas características. Confira!

Tesouro Prefixado, com ou sem pagamento de juros semestrais

O Tesouro Prefixado apresenta uma taxa predeterminada, já conhecida antes mesmo de você aplicar o seu dinheiro. Por exemplo, 10% ao ano. Isso significa que você receberá isso na data de vencimento.

Portanto, não haverá alterações. Por esse motivo, essa opção é indicada para quem deseja saber exatamente o quanto receberá de rendimento no vencimento.

Esse é o funcionamento geral do Tesouro Prefixado. No entanto, existe uma opção que paga juros semestrais. Na prática, a diferença é que você receberá o cupom — juros devidos até a data — a cada 6 meses.

Por um lado, o recebimento desse retorno pode ser positivo, caso você reinvista o valor. No entanto, haverá o desconto de Imposto de Renda (IR) sobre o ganho, de acordo com a tabela regressiva de renda fixa. Explicaremos mais sobre a tabela depois.

Tesouro IPCA+, com ou sem pagamento de juros semestrais

O Tesouro IPCA+ é um título com rentabilidade híbrida, porque tem uma taxa fixa mais o rendimento do Índice de Preços ao Consumidor Amplo. Por exemplo, 4% ao ano + IPCA. Portanto, é o único que sempre oferece um ganho real, já que esse indicador mede a inflação oficial do Brasil.

Nesse sentido, o valor do IPCA é útil para quem pretende investir nessa modalidade. Essa é uma forma de manter o seu poder de compra justamente devido ao ganho da taxa fixa. Essas características fazem o Tesouro IPCA+ ser o ideal para quem quer ter alguma rentabilidade real em qualquer cenário econômico. 

Ainda é importante ressaltar que o Tesouro IPCA+ também tem uma opção em que há pagamento de juros semestrais. Nesse caso, também há o desconto do IR. Por isso, é preciso pensar bem se vale a pena contar com esse cupom a cada 6 meses na sua estratégia de investimentos.

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é um título pós-fixado, que rende igual à taxa básica de juros. Por isso, o retorno pode sofrer variações a cada 45 dias, já que a Selic é definida pelo Comitê de Política Monetária (Copom) nesse intervalo de tempo.

A grande vantagem do Tesouro Selic é quase não sofrer a marcação a mercado. Vamos explicar esse conceito depois. Nesse momento, vale saber que isso significa que a chance de ter perdas em caso de resgate antecipado é baixíssima.

Por esse motivo, esse papel é o mais recomendado para quem deseja formar uma reserva de emergência.  Mas atenção: aqui, não existe possibilidade de pagamentos semestrais.

Tesouro RendA+

O título mais recente do Tesouro Direto é o RendA+, lançado no início de 2023. Ele tem como foco a aposentadoria, tendo um rendimento híbrido. Por isso, ele tem um retorno equivalente ao IPCA mais uma taxa fixa.

A diferença está no momento do resgate. A ideia é receber o capital acrescido de juros ao longo de 20 anos, isto é, 240 parcelas mensais. Portanto, o objetivo é, realmente, ser um complemento à aposentadoria.

Além disso, durante os recebimentos, a quantia é corrigida pela inflação, a fim de garantir o seu poder de compra.

Agora, você deve estar se perguntando: “e se eu quiser resgatar o dinheiro antes do vencimento?”. Bom, existe um prazo de carência de 60 dias. Portanto, é impossível fazer qualquer saque nesse período.

Depois desse prazo, você pode fazer o resgate dos valores quando quiser. No entanto, também sofrerá a marcação a mercado.

Como funciona o Tesouro Direto?

Os títulos do Tesouro Direto funcionam como outros tipos de ativos do mercado financeiro. Ou seja, você escolhe o título, aloca o seu dinheiro e recebe o retorno na data de vencimento — ou o valor de venda, caso faça o saque antes do prazo. Toda a negociação é feita pela plataforma própria do programa.

Apesar dessa explicação ser simples, existem detalhes importantes a considerar. Veja quais são eles.

Valor mínimo de aplicação

O valor mínimo a aplicar no Tesouro Direto é R$ 30, ou o equivalente a 1% do título. Explicando melhor: o que vale é a porcentagem do papel. No entanto, se ela for inferior a R$ 30, considera-se essa quantia.

Assim, se o valor total do título for R$ 7.000, você terá que investir R$ 70, que equivale a 1%. Por outro lado, caso o montante total seja R$ 2.000, é impossível aplicar somente R$ 20. Terá que aumentar para R$ 30.

Apesar dessa informação ser importante, você não precisa fazer esse cálculo. No momento de investir, a plataforma do Tesouro fará a adequação da quantia e você verá tudo corretamente antes de confirmar a operação.

Taxas e tributação

O Tesouro Direto sofre a tributação do Imposto de Renda, cuja tabela é regressiva. A aplicação é feita somente sobre o lucro. As alíquotas são as seguintes:

  • 22,5% para investimentos de até 180 dias;
  • 20% para 181 a 360 dias;
  • 17,5% para 361 a 720 dias;
  • 15% para períodos superiores a 720 dias.

Além disso, existe a cobrança de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). No entanto, ele incide somente quando o investidor resgata os valores aplicados em um período inferior a 30 dias. A taxa decresce a cada dia e vai de 96% a 0%.

Por fim, existem as taxas do Tesouro Direto de administração e custódia. A primeira é cobrada pela corretora de valores. Boa parte delas isenta sua incidência. Por isso, é importante verificar antes de abrir a sua conta.

Por sua vez, a taxa de custódia é cobrada pela B3 e é igual a 0,20% ao ano sobre o total investido. A incidência é semestral, mas há isenção para quem tem até R$ 10 mil no Tesouro Selic.

Caso você tenha mais de R$ 10 mil no Tesouro Selic, especificamente, a taxa de custódia é aplicada somente sobre o excedente.

A rentabilidade pode ser pré fixada, pós-fixada ou híbrida, como já vimos. Todas as opções são válidas e indicadas para cenários econômicos diferentes.

Liquidez

O prazo para receber os valores após solicitar o resgate, variam de acordo com as regras abaixo:

  • Resgate realizado em dias úteis (de 9h30 às 13h00): a partir das 13h do mesmo dia de resgate;
  • Resgate realizado em dias úteis (de 13h00 às 18h00): a partir das 13h do 1º dia útil após a solicitação de resgate;
  • Agendamento de resgate (de 18h00 às 5h00, finais de semana e feriados): a partir das 13h do 1º dia útil.

Lembrando que pode haver perdas devido à marcação a mercado, caso faça o resgate antes do vencimento.Além disso, o Tesouro RendA+ tem um prazo de carência de 60 dias. Por isso, as regras acima são aplicadas a partir desse período.

Horário de funcionamento

As transações acontecem todos os dias úteis, das 9h30min às 18h.

Fora desse horário ou em finais de semana, a operação será executada no próximo dia útil, com base nos preços e nas taxas válidos na abertura do mercado. 

Por isso, os preços e as taxas apresentadas na plataforma do Tesouro Direto nesses períodos valem somente para referência. Ainda há situações em que as negociações podem ser suspensas durante o dia devido às condições de mercado. Porém, essa situação é pontual.

Marcação a mercado

Marcação a mercado é uma técnica que consiste em avaliar o valor de um investimento, como ações e títulos, diariamente, de acordo com o preço atual do mercado. Esse processo ajuda a determinar um preço justo para o investimento com base nas flutuações diárias. 

No caso da renda fixa, essa volatilidade existe, mas ela não impacta o investidor que deixa o capital alocado até a data de vencimento. Por outro lado, se você fizer o resgate antecipado, a operação será feita com base nesse valor de mercado.

Portanto, quando você opta por vender um título do Tesouro antes do vencimento, poderá receber um valor diferente ao proporcional devido. Isso porque o cálculo usará o preço de mercado como referência.

Isso pode ser positivo ou negativo. Quando o preço estiver acima do que deveria ter rendido com a taxa que investiu, você ganha mais. Porém, ele também pode estar abaixo, o que pode levar a um prejuízo, até mesmo sobre o valor investido.

Qual o rendimento de um Tesouro Direto?

O rendimento de um Tesouro Direto depende da taxa aplicada a cada título no momento da negociação. De toda forma, os indexadores são a Selic e o IPCA, e também pode ter uma taxa fixa. Para entender melhor as possibilidades, veja a rentabilidade acumulada dos títulos, de acordo com a posição em 24 de fevereiro de 2023, indicada no site do Tesouro Direto.

Quanto rende 1.000 por mês no Tesouro Direto?

Para saber quanto rende R$ 1.000 por mês no Tesouro Direto, é preciso verificar o indexador e a taxa fixa, se existir. Utilizando o Tesouro Selic 2024 como exemplo, é preciso saber em quanto está a taxa básica de juros. Ela está em 13,75% ao ano em 24 de fevereiro de 2023. Assim, o retorno mensal seria de R$ 10,74, o que representa uma taxa bruta de 1,07%. Com isso, o saque após 30 dias seria cerca de R$ 1.008,31, descontando os impostos

Se a Selic se mantivesse por 12 meses nesse mesmo patamar, o valor de resgate já subiria para R$ 1.112,80. Ou seja, o lucro seria de R$ 112,80, com uma taxa líquida aproximada de 11,28%.

Como investir no Tesouro Direto?

Para saber como investir no Tesouro Direto, realize as seguintes etapas:

  1. Abra a conta em uma corretora de investimentos. Vale a pena procurar uma que ofereça isenção de taxas;
  2. Faça seu cadastro na plataforma do Tesouro Direto. Insira seus dados e aguarde a senha provisória para acessar o sistema;
  3. Escolha o título. Considere seu perfil de investidor e avalie a melhor opção para a sua realidade financeira e os objetivos que pretende alcançar;
  4. Execute a ordem de compra. Defina o valor e faça os ajustes necessários antes de realizar a compra do título. Em seguida, confirme a transação.

Existem alternativas de investimento?

Sim, existem alternativas de investimento. É recomendado estudar a  renda variável e também optar por investir no exterior para potencializar os seus ganhos. Essa é uma forma de diversificar a sua carteira e garantir uma rentabilidade maior para o seu portfólio.

Nesse sentido, vale a pena contar com uma conta global de investimentos. Com ela, você conseguirá saber como investir em dólar e poderá acessar uma série de ativos do mercado financeiro de outro país.Assim, você poderá investir no Tesouro Direto, mas também terá outros ativos na sua carteira. Isso ajudará a ter um ganho maior e a consolidar o seu patrimônio. Então, que tal abrir a sua conta global de investimentos? Acesse o site da Nomad e insira os seus dados!

Compartilhe: