No final do ano passado, a Apple no Brasil anunciou os preços da sua versão mais recente do iPhone. Chamou atenção os valores salgados do iPhone 12 – a versão mais simples começa em R$ 7 mil e beira os R$ 14 mil no modelo Pro Max. Por conta dos valores altos, muitas pessoas se perguntam se vale mais a pena comprar o iPhone 12 em dólar.

As compras internacionais, movidas pela busca por preços que cabem no budget do brasileiro, cresceu muito ao longo da pandemia. Inclusive, foram justamente os smartphones que lideraram entre as compras digitais no exterior. 

Segundo pesquisa do Borderless Commerce Report 2021, 57% dos brasileiros fizeram pelo menos uma compra no exterior em 2020, sendo 78% de smartphones. 

Sem poder viajar e buscando bons preços, 38% dos digital buyers brasileiros disseram estar mais dispostos a fazer compras internacionais agora do que antes da pandemia. Esse é o segundo maior aumento entre os 13 mercados pesquisados, atrás somente do México.

As compras internacionais são de fato uma tendência. A seguir, vamos analisar se comprar iPhone 12 em dólar também é um bom negócio. 

Preço do iPhone 12 no Brasil

Levando em consideração os preços oficiais da Apple Store online, o iPhone 12 em real custa a partir de R$ 6.999, no modelo iPhone 12 Mini (64 GB), e chega até R$ 13.999, no modelo Pro Max (512 GB). Eles chegaram ao Brasil com 5G, novas cores e visual, processador A14 Bionic e suporte a MagSafe, mas sem o carregador e o fone na caixa.

Segundo levantamento de novembro de 2020 pelo Tecnoblog, levando em consideração o preço de 22 países onde o iPhone 12 é vendido ou está em pré-venda, o iPhone 12 do Brasil era o mais caro. Para chegar a essa conclusão, o site converteu todos os valores para o dólar, considerando também os impostos presentes em compras no exterior.

O levantamento do Tecnoblog também mostra que a Apple não cobrava, em nenhum outro país, mais de US$ 1 mil pelo iPhone 12 Mini – apenas no Brasil.

Preço do iPhone 12 em dólar vs. real

Primeiro, vamos analisar como ficaria o preço do iPhone 12 no Brasil em dólar. Considerando a cotação do dólar no dia 30 de julho (R$ 5,18), o iPhone 12 mais em conta vendido no nosso país custaria cerca de US$ 1.351, em conversão direta, sem considerar os impostos e taxas. Já o iPhone 12 Pro Max, o top da linha, sairia por US$ 2.702.

Agora, vamos comparar esses valores com os preços oficiais do iPhone 12 em dólar, vendido na Apple Store online dos Estados Unidos. O modelo mais em conta, o iPhone 12 Mini, sai por US$ 729 (na versão desbloqueada e sem plano de operadora), enquanto o Pro Max está por US$ 1.399. 

Perceba, portanto, que o iPhone 12 em dólar de fato é bem mais barato em comparação com o real, sendo o top de linha quase metade do preço em relação ao Brasil.

E as taxas?

Se você vai viajar e quer comprar seu iPhone 12 em lojas físicas, no caso dos EUA, alguns estados como New Hampshire, Montana e Oregon têm alíquota zero, assim como a cidade de Nova York, um dos principais destinos dos brasileiros no país. 

Nos demais locais, há um acréscimo de 4 a 12% do valor total da compra, a depender do estado. Em Miami, por exemplo, há uma taxa de imposto local de 7%. 

Os impostos locais são adicionados automaticamente ao preço final, no ato do pagamento. Portanto, para quem planeja comprar o iPhone 12 em dólar, é importante estar atento a essas variações conforme a localidade.

Outra taxa que você deve ficar atento é o IOF, imposto que incide sobre operações financeiras como compra em dólar, e taxas alfandegárias de importação.

No cartão de crédito internacional, a alíquota do IOF fica em 6,38%. Esse valor pode ser reduzido se você tiver uma conta em dólar digital na Nomad, onde a taxa é de apenas 1,1%.

Sua compra fica mais fácil com uma conta global

Como vimos, comprar o iPhone 12 em dólar é um bom negócio. Para facilitar e economizar ainda mais na compra, o ideal é ter uma conta digital em dólar

Com a conta em dólar na Nomad, você dá adeus ao IOF de 6,38% cobrado em compras por cartão, ao spread abusivo e ao dólar do cartão de crédito. Basta usar o cartão de débito da Nomad e economizar até 10% nas compras internacionais. 

Essa economia ocorre porque, na Nomad, o câmbio é atualizado em tempo real com cotação seguindo o dólar comercial, e não o dólar turismo, o que te garante taxas reduzidas no câmbio. Além disso, o IOF é de 1,1%, com taxa de serviço de apenas 2%. Assim, sua compra fica muito mais econômica e prática.

Para utilizar o nosso cartão em lojas físicas, basta vinculá-lo ao seu smartphone (Apple, Google e Samsung). Além de compras na Apple, você também consegue comprar online em lojas como Amazon e eBay.

Comprar iPhone 12 com cartão de crédito vs. cartão da Nomad

Veja a seguir um exemplo de como fica uma compra do iPhone 12 Pro Max em dólar (US$ 1.399) feita com cartão de crédito vs. o cartão de débito da Nomad. 

Convertemos a compra feita com cartão de crédito utilizando a cotação do dólar Ptax no dia 2 de agosto (R$ 5,1373). O dólar Ptax é a taxa de câmbio utilizada pela maioria das administradoras de cartões e bancos do Brasil. Ela pode ser consultada diariamente no site do Banco Central. Na Nomad, utilizamos a cotação do dólar comercial, que está em R$ 5,119.

Além da taxa Ptax, em cada compra feita com cartão de crédito também é cobrada uma taxa de spread sobre o valor da Ptax para cobrir os custos operacionais. Ela é de aproximadamente 4%, mas varia conforme a instituição. Na Nomad, essa taxa é de 2%.

Cartão de crédito: US$ 1.399 + IOF de 6,38% + spread 4% = US$ 1.488,25 = R$ 7.951.

Cartão Nomad: US$ 1.399 + IOF de 1,1% + spread 2% = US$ 1.414,38 = R$ 7.385.

Nesse exemplo que demos, você economizaria mais de 560 reais no seu iPhone 12 Pro Max com o cartão de débito da Nomad. Com uma conta global e digital, suas compras ficam muito mais econômicas e práticas. 

Se esse conteúdo foi útil para você, não deixe de ler também:

Be Nomad. Be global.

Leave a Reply

5 × um =