Se você tem interesse no mercado financeiro, é muito provável que já tenha ouvido falar em diversificação de investimentos, tema muito comum entre os investidores. Trata-se de uma técnica usada por muitos, independentemente dos objetivos de suas aplicações.

Afinal, ela é a forma mais eficiente para trazer melhores resultados de rentabilidade e ajudar a proteger o patrimônio contra perdas significativas. 

Contudo, muitos investidores ainda não sabem exatamente o que é diversificação de investimentos, quais são as vantagens dessa estratégia e como começar a aplicá-la no próprio portfólio. Confira este artigo até o final para esclarecer essas e outras dúvidas!

O que é diversificação de investimentos?

Basicamente, diversificação de investimentos é uma estratégia que consiste em dividir o próprio patrimônio entre diferentes aplicações financeiras. Assim, em vez de colocar todo o dinheiro em um único tipo de ativo, o investidor distribui o seu capital. 

Essa técnica surgiu no ano de 1950, quando o economista norte-americano Harry Markowitz desenvolveu a Teoria Moderna do Portfólio, que rendeu a ele o Nobel de Economia em 1990. 

O objetivo de Markowitz era encontrar uma forma de compor uma carteira de aplicações com o maior retorno financeiro aliado ao menor risco possível, e assim foi construído o conceito de diversificação de investimentos. 

O economista foi capaz de provar que, matematicamente, ter um portfólio variado tende a produzir uma rentabilidade melhor e é mais seguro. 

Vale ressaltar que não existe uma única fórmula ideal de diversificação de investimentos, já que a estratégia a ser adotada depende do momento econômico e das preferências pessoais do investidor.

A importância da diversificação de investimentos

Celular e notebook com gráficos na tela
A diversificação de investimentos é essencial para quem deseja ter mais segurança em suas aplicações.

O mercado financeiro pode ser bastante volátil e imprevisível, o que torna impossível, mesmo para os investidores mais experientes, prever com total certeza quais serão os ativos mais rentáveis e seguros no longo prazo. 

Por essa razão, concentrar todos os seus recursos em um único tipo de ativo ou em categorias de investimentos semelhantes pode ser bastante arriscado. 

Vamos dar um exemplo: se o seu dinheiro estiver investido somente em ações de uma única empresa e ela vier à falência ou sofrer algum tipo de crise séria de imagem, o valor desse ativo pode despencar e você perderá quase todo o seu capital investido. 

No entanto, se o seu patrimônio estiver distribuído em aplicações diferentes, como ações de empresas de outro setor, títulos públicos e fundos imobiliários, o impacto dessa perda será muito menor, já que os demais ativos não serão igualmente afetados pela mesma situação. 

Dessa forma, a diversificação de investimentos é extremamente importante para proteger os recursos do investidor contra riscos de mercado, crises políticas ou corporativas, recessões econômicas, riscos de crédito e liquidez entre outros fatores, pois estes atingem os setores do mercado de formas distintas. 

Além disso, diversificar é uma forma de possibilitar uma rentabilidade maior, já que ela não estará vinculada apenas a um tipo de ativo, o que permite que ainda haja ganhos mesmo frente aos mais variados cenários.

4 motivos para diversificar a carteira

Podemos citar uma série de vantagens para os investidores que optam por realizar uma diversificação de investimentos. Veja quais são as 4 principais:

1. Redução de riscos

O controle de riscos é o principal benefício de diversificar seu portfólio. Com uma carteira composta por diferentes classes de ativos, o investidor fica menos vulnerável a baixas inesperadas e crises em determinados setores. 

Assim, o patrimônio financeiro fica mais protegido e é possível investir com mais tranquilidade, uma vez que as altas de uma aplicação podem compensar as quedas de outras e o impacto final é sempre menor

2. Aumento do potencial de ganho

A diversificação de investimentos abre espaço para um aumento do potencial de obter uma boa rentabilidade com as suas aplicações. Isso porque, quando o investidor se prende a um único tipo de ativo, pode acabar deixando passar oportunidades importantes de aumentar seus ganhos. 

Com a diversificação, é possível aproveitar a rentabilidade mais elevada de investimentos mais arriscados sem perder a segurança e a liquidez de toda a carteira, que será equilibrada pelos demais ativos que a compõem. 

3. Não ficar preso a uma só economia

Diversificar a carteira também é interessante para quem gostaria de aproveitar as oportunidades de investir em outras economias, como no mercado financeiro dos Estados Unidos. 

Colocar parte do patrimônio em aplicações internacionais, negociadas em dólar, pode abrir as portas para inúmeras opções de ativos e aumentar a rentabilidade do seu portfólio. Além disso, traz uma segurança extra, pois o seu capital fica vinculado a uma economia mais sólida e estável.

4. Conveniência 

Por fim, também podemos citar como vantagem a comodidade que a diversificação de investimentos pode trazer. Isso porque, com ativos de categorias diversas, pode-se manter simultaneamente aplicações que proporcionem liquidez mais imediata e outras de vencimento a longo prazo.

Portanto, deixa de ser preciso se preocupar constantemente com os prazos fixados em cada aplicação, sendo possível ajustar o seu portfólio de acordo com diferentes objetivos.

Tipos de diversificação de investimentos

Mulher estudando sobre carteira de investimentos
Existe mais de um tipo de diversificação de investimentos, então vale a pena estudar o assunto antes de montar uma carteira.

O processo de diversificação da carteira de investimentos pode ocorrer de diferentes maneiras, a depender das preferências de cada investidor. A seguir, entenda melhor:

1. Diversificação entre setores

Consiste em fazer investimentos em organizações de diferentes setores da economia. Esse tipo de diversificação é especialmente útil para proteger os investidores contra as ameaças e riscos não-sistemáticos que podem atingir cada segmento. 

Por exemplo, se um investidor alocar todo o seu capital em uma empresa tradicional do setor elétrico, pode sofrer perdas com o avanço das fontes de energia renováveis, como energia solar e eólica, que ameaçam a hegemonia desse mercado.

2. Diversificação entre classes de ativos

Outra forma de aplicar essa estratégia é fazendo investimentos em classes de ativos distintas, como ações, fundos imobiliários, títulos de renda fixa, moedas estrangeiras, entre outros. 

Com isso, o investidor diminui a volatilidade de sua carteira, se protegendo contra variações negativas de ativos mais inconstantes e garantindo mais estabilidade. 

3. Diversificação geográfica 

Também é possível realizar uma diversificação dos locais onde se aplica o dinheiro. Quando um investidor escolhe colocar todo o seu patrimônio em um único país, fica vulnerável às variações econômicas desse local.

No caso do Brasil, por exemplo, as constantes crises na economia que têm atingido o país nos últimos anos afetam o mercado financeiro e acarretam prejuízos para muitos investidores.

Por isso, é interessante aplicar parte do capital em outros países com cenário econômico mais estável e moedas mais fortes, como os EUA.

Como diversificar a carteira de investimentos

Agora que você já sabe o que é diversificação de investimentos, a importância de usar essa estratégia, os motivos para diversificar uma carteira e os tipos existentes, confira como realizar esse processo:

1. Entenda o seu perfil de investidor e trace objetivos financeiros

O primeiro passo para começar a diversificar a sua carteira de aplicações é identificar a sua tolerância a riscos e o perfil de investidor no qual você se enquadra (conservador, moderado ou agressivo). 

Além disso, é necessário traçar quais são os seus objetivos financeiros com os investimentos. Suas aplicações são destinadas para a acumulação, rentabilização ou preservação do patrimônio? Em quanto tempo você pretende resgatar a quantia investida? Esses, por exemplo, são alguns dos fatores que devem ser levados em consideração. 

2. Analise o cenário econômico

Para usar a estratégia de diversificação de investimentos da melhor forma é necessário estudar o tema!

Avalie como está a economia do local onde você pretende investir e analise o impacto que fatores como aumento da inflação ou elevação na taxa de juros podem ter sobre os seus investimentos. 

Nesse sentido, é interessante considerar a possibilidade de fazer aplicações fora do Brasil, de forma a se proteger das instabilidades econômicas. Investir diretamente em dólares nos Estados Unidos é uma boa opção para alocar seu capital em uma moeda e um mercado mais fortes.  

Quer saber mais sobre investimentos internacionais? Clique aqui!

3. Defina classes de ativos e produtos de investimentos

Com base no que você concluiu nos itens anteriores, é hora de começar a decidir quais são as aplicações que mais fazem sentido para a sua carteira. 

As classes de ativos podem se dividir entre renda fixa ou variável, fundo imobiliário, cambial e multimercado, ou previdência. 

Dentre essas categorias você deverá escolher em quais ativos vai investir, por exemplo, ações das empresas X e Y, e títulos pré-fixados. 

4. Avalie constantemente o desempenho do portfólio

Depois de montar a sua carteira de investimentos de forma consciente e de acordo com as suas necessidades, é preciso estar preparado para fazer um balanceamento periódico

Dessa maneira, é possível avaliar o que tem funcionado e quais mudanças podem ser feitas para melhorar ainda mais os seus resultados. 

Agora que você já conhece a importância da diversificação de investimentos, que tal começar a proteger o seu patrimônio fazendo investimentos em mercados globais através das bolsas americanas?

Baixe o app da Nomad e em poucos cliques acesse estratégias de investimento para diversificar suas aplicações respeitando o seu perfil de investidor. Tudo de uma forma prática, rápida e sem taxas ocultas.

Be Nomad, Be Global!

Leave a Reply

um × 1 =